cinqüenta anos do instituto

Yad Vashem em jerusalém

Ben Abraham (*)

JERUSALÉM (Especial para O JORNAL) – Entre os dias 16 e 18 últimos, foram realizados nesta capital os eventos relativos ao 50º aniversário de fundação do Instituto Yad Vashem, o maior centro de memória do Holocausto acontecido na II Guerra Mundial.

Devido à relação dessa tragédia com a fundação e a existência do Estado de Israel, participaram no evento as mais altas autoridades do país, entre as quais o seu Presidente, Primeiro-Ministro, Ministro das Finanças, Ministro da Educação, Prefeito de Jerusalém, Rabino Chefe de Israel, Presidente do Congresso Judaico Mundial e ex-Primeiro-Ministro Shimon Peretz, que completava 80 anos de idade na ocasião.

Yad, pergaminho.jpg (26914 bytes)

A Declaração da Memória, de Yad Vashem

Na Praça dos Combatentes do Gueto de Varsóvia, discursaram durante a cerimônia de abertura, perante três mil convidados vindos de todas as partes do mundo, o presidente do Estado de Israel, Moshe Katzav, o primeiro-ministro Ariel Sharon, o ministro da Educação, Limor Livnat e o presidente do Yad Vashem, Avner Shalev. Todos destacaram a importância dessa instituição para as gerações vindouras.

A cerimônia prolongou-se por duas horas, com a participação da orquestra filarmônica de Israel e apresentação do cantor Dudi Fisher, entre outros.

Depois, durante solenidade no Memorial das Comunidades, o prefeito de Jerusalém, Uri Lupianski, abriu seu discurso dizendo

Yad, novo museu.jpg (37692 bytes)

As obras do novo Museu do Holocausto

"não esquecerás e não perdoarás os trágicos acontecimentos infligidos pelos alemães aos judeus", para destacar o Instituto Yad Vashem como principal fonte de preservação da memória do Holocausto.

Como convidados especiais do Yad

Yad, abertura.jpg (31425 bytes)

Abertura das cerimônias do jubileu

Vashem para representar a CONIB, a Sherit Hapleitá do Brasil e os amigos do instituto no Brasil, eu e minha esposa, Miriam, participamos da recepção oferecida pelo presidente Moshe Katzav em sua residência oficial. Nessa oportunidade, foi assinada a "Megila de Yad Vashem" (Declaração da Memória de Yad Vashem), contendo 25 assinaturas encabeçadas pelo presidente de Israel, rabino-chefe do Estado, Simone Weil, da França, e rabino Israel Singer, presidente do Congresso Judaico Mundial. Ao lado do convidado da Venezuela, coube-me a assinar o pergaminho como representante da América do Sul, Central e Caribe.

Yad, recepção das delegações.jpg (29572 bytes)

Recepção das delegações de todo o mundo

No jantar de encerramento, o Ministro das Finanças, Benjamin Netaniahu, agradeceu aos dirigentes e amigos do Yad Vashem pela colaboração e empenho no fortalecimento dessa importante Instituição.

Yad, vista geral.jpg (29682 bytes)

Vista geral das instalações do Yad Vashem

Mereceram destaque as monumentais obras em andamento no âmbito do instituto, principalmente o novo museu que, por certo, contribuirá ainda mais para que o Holocausto nunca seja esquecido.

(*) Ben Abraham é jornalista, escritor, coordenador-geral da Sherit Hapleitá do Brasil e vice-presidente da Associação Mundial dos Sobreviventes do Nazismo.

Mensagem para O JORNAL

Volta à 1.ª página