A Câmara dos Deputados realizou entre os dias 3 e 7 últimos, no estacionamento do Anexo II, a exposição "O Biodiesel e a Inclusão Social", promovida pelo seu Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica.

Participaram os ministérios da Agricultura, Minas e Energia, Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário, a Petrobrás, a Embrapa, as universidades federais do Rio de Janeiro e do Ceará e empresas de pesquisa privada. O objetivo alcançado foi discutir a criação de uma política nacional de produção de diesel vegetal, um combustível renovável, que aumenta a durabilidade do motor e reduz, consideravelmente, a emissão de poluentes na atmosfera.

"A exposição reuniu trabalhos e protótipos desenvolvidos por centros tecnológicos e de pesquisa de todo o País. Esteve em funcionamento uma mini usina, que produziu o biodiesel a partir de óleos de mamona e babaçu. Também ficaram expostos automóveis, ônibus, motores estacionários, tratores e geradores de energia, todos movidos a biodiesel". Explicou o dep. Lobbe Neto (PSDB/SP), um dos defensores do Proálcool e que vê nessa "nova" fonte mais uma alternativa para geração de milhares de emprego.

VIDEOCONFERÊNCIA

Dia 5, houve videoconferência sobre o assunto, no auditório do

Espaço Cultural Zumbi dos Palmares, que uniu a Câmara dos Deputados com todas as assembléias legislativas estaduais. Foi aberta pelo presidente da Casa, João Paulo Cunha, e pelo presidente do Conselho, deputado Luiz Piauhylino (PTB-PE), que proferiu a palestra inicial.

Dez temas foram analisados: 1 - As diferentes matérias-primas, escalas de produção e sua relação com a geração de empregos; 2 - Processos de produção e auto-suficiência energética de pequenas comunidades; 3 - Sustentabilidade do processo de produção do biodiesel no Nordeste a partir da mamona; 4 - Desenvolvimento regional e geração de renda; 5 - Formas de comercialização e distribuição, mercado para exportação, redução de importação de diesel, aspectos tributários e subsídios; 6 - A potencialidade da agricultura brasileira para a produção de biodiesel; 7 - Políticas Públicas para o Programa Nacional do Biodiesel; 8 - Biocombustível, trabalho e renda no campo e na cidade; 9 - Questões ambientais, emissões, o biodiesel nas grandes cidades e créditos de carbono; 10 - Aspectos regulatórios, especificações de produtos e desempenho de motores.

A iniciativa fez parte do primeiro tema para exame do Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica.

(Fonte: Agência Câmara)

Mensagem para O JORNAL

Volta à 1.ª página