"Os que vão ao mar por prazer, iriam ao inferno por diversão." Essa frase, marcante na literatura francesa, retrata o que anda pela cabeça de quem zarpa em busca das emoções marinhas. Não que o mar sempre se apresente encapelado, sob a influência de atmosfera adversa. Mas, quando isso acontece, até os mais experientes marujos ficam temerosos ou, no mínimo, preocupados. Por isso, é bom saber o que se vai encontrar pela proa.

Quem não quer correr tais riscos tem a sua disposição um bom serviço de previsão de ondas prestado dia e noite pelo Projeto Atlasul, que a Universidade Federal do Rio de Janeiro oferece gratuitamente. Seus avisos de tormenta e descrições do porvir meteorológico não falham e abrangem até as 120 horas (cinco dias) seguintes.

Altura, origem e direção das ondas, assim como as pistas de ventos, são retratadas em modelos facilmente entendidos e atualizados de 6 em 6 horas. Abrangem todo o litoral brasileiro. Teriam salvo, por exemplo, os pescadores que pereceram há dias em dois naufrágios na costa catarinense, caso eles houvessem respeitado o que estava previsto.

A animação do vento e das ondas é obtida

através de de figuras apresentadas em seqüência. Os vetores, a identificação dos valores através de cores e as linhas de correntes permitem ter uma visualização muito rápida e eficiente do deslocamento da frente fria, das pistas, dos vórtices, e das regiões com maiores ondas, principalmente nas ocorrências de ciclones e anticiclones.

Mas, o "site" não faz somente previsões. Traz também informações sobre todos os produtos, a maneira de interpretar as figuras e os resultados, os princípios básicos dos mecanismos físicos das ondas, teses e artigos científicos resultantes do Projeto Atlasul, reportagens e curiosidades relativas ao tema.

Um "link" leva ao NOAA para visualização das últimas imagens e localização das frentes frias. Há também modelos de ondas WWATCH III/ATLASUL, de ondas e espectro em pontos selecionados, de ondas SWAN (experimental), atmosférico global e de ondas global do NCEP/NOAA, além de outros à escolha do internauta.

Mesmo quem não possui barco e pretende ficar nas praias encontra muita informação interessante no "site" do Projeto Atlasul. Ele merece ser visitado no endereço http://www.lamma.ufrj.br/spo/

Mensagem para O JORNAL

Volta à 1.ª página