A INFORMAÇÃO NA ERA DA INTERNET

Com a multipolarização transformando um simples internauta na pessoa mais "ligada" do mundo, a era da informação digital tende a se expandir cada vez mais. São sites pessoais, "blog´s", megaportais etc., que se incumbem de fazer essa, digamos, "logística" de idéias. Entretanto, para armazenar todos esses dados, é preciso ocupar bilhões de megabytes. E, com o número de novas informações crescendo a cada ano, é necessária a criação de ferramentas para juntar, ou melhor, organizar esse conteúdo. E fazer com que a pessoa possa achar todo e qualquer tipo de informação disponível na web.

É aí que entram os mecanismos de busca, que não são tão simples nem superficiais como aparentam. Para se montar um, é preciso catalogar todas as páginas de um site. Quando o interessado em um determinado assunto digita um termo, automaticamente a ferramenta procura todas as palavras encontradas no tal banco de dados do buscador.

Hoje em dia, o mais popular é o Google (www.google.com), cujas informações podem chegar a 3 milhões de dados. Segundo pesquisa feita por uma empresa de estatísticas, 55 por cento dos internautas utilizam essa ferramenta. É o líder do segmento. Em segundo lugar vem o Yahoo (www.yahoo.com.br), com pouco mais de 21 por cento de usuários.

No Brasil, além dos dois citados, há também o Cadê? (www.cade.com.br), o Aonde? (www.aonde.com.br), o Achei (www.achei.com.br), entre outros. E, dependendo da pesquisa, podem satisfazer as necessidades de qualquer internauta.

A coluna INTERNETEANDO pesquisou algumas dicas de como fazer a melhor procura em uma dessas ferramentas. Se a pesquisa for por uma palavra composta, o uso de aspas (") entre os termos (ex: "legião urbana"), faz com que sejam encontradas todas as páginas que possuem informações para a extinta banda brasiliense.

Se o leitor quiser encontrar mais de uma palavra, pode usar o sinal de mais (+). Por exemplo: "São Paulo Futebol Clube" (entre aspas) + "campeão mundial de 1993". Pronto, o buscador irá procurar todas as informações do time paulista junto

com os dados de sua maior conquista.

O uso do sinal de menos (-) também auxilia. Por exemplo, quem quiser localizar assuntos ligados ao presidente Lula, pode escrever "Luís Inácio Lula da Silva" - "eleições de 1989". O resultado sairá com os pleitos seguintes, incluindo sua vitória. Mas não mostrará a derrota para Collor de Mello. Esse refino de informações pode facilitar, e muito, a vida de quem procura um determinado tema. E faz com que o internauta não se perca numa "selva de assuntos".

NATAL, ÉPOCA DE COMPRAS (E DE PREOCUPAÇÃO)

Que o comércio espera ansiosamente a chegada do Natal para alavancar as vendas e colocar em dia as contas, não é novidade para ninguém. E que o décimo-terceiro salário é a saída para muitos trabalhadores fazerem a alegria de suas famílias nesta época, também não.

As empresas que vendem produtos pela Internet também usam essa aposta para faturar mais neste mês. Mas, a divulgação de grandes fraudes on-line e roubos de identidade digital fez com que o consumidor preferisse mesmo a boa e velha compra no "shopping" ou na região central das grandes cidades.

Segundo o jornal "Folha de S. Paulo", 49 por cento dos consumidores habituados a fazer compras via Web planejam restringir seus gastos neste ano em virtude do possível (e cada vez mais provável) uso indevido de dados.

CURTINHAS

As Lan Houses na mira dos vereadores.

A Câmara Municipal de São Paulo acaba de aprovar projeto de lei, de autoria do vereador William Woo (PSDB), que prevê a regulamentação das casas de jogos em rede. Ambientes escuros, venda de cigarros e bebidas, e menores de idade jogando sem autorização dos pais estão proibidos. A medida é polêmica e já causa discussão entre as empresas do ramo e o legislativo paulista.

Ainda os SPAMs

Na última INTERNETEANDO, falamos de SPAMs. E eis que surge uma pesquisa (do Instituto Qualisbest), mostrando que 38 por cento dos internautas combatem o envio indiscriminado (e descarado) de e-mails. Cada vez mais as pessoas estão preocupadas com a invasão de privacidade e tomando atitudes simples, mas eficientes.

E-mail para O JORNAL

Volta à 1.ª página