Computador2.gif (31302 bytes)

INTERNETEANDO

Sérgio Quintella da Rocha
serginhoqr@uol.com.br

"ÓR" O QUE?

"Somente seis pessoas fazem parte da minha lista de contatos. Dentre elas, nenhuma me acha interessante, tampouco quer sair comigo. Além de ninguém ter me procurado para fazer parte de seu rol de amigos." Calma aí, amigo, eu acabei de entrar no Orkut (www.orkut.com).

Assunto dos últimos meses no meio digital, o Orkut (pronuncia-se "órkãt") funciona assim: você recebe um e-mail de algum conhecido seu convidando-o para preencher um cadastro. Pronto, esse é o "password" para a rede de relacionamentos. A partir daí, e após responder que esse seu amigo é mesmo seu amigo, você já faz parte da comunidade e tem acesso às pessoas que estão na lista de quem o apresentou ao site. Para isso, basta clicar sobre suas fotos. Entretanto, para que você também seja encontrado, é preciso fazer um cadastro mais especifico, escrevendo, por exemplo, qual sua religião, preferência política, entre outros dados. Com o tempo, mais mensagens vão chegando e os convites para se tornar parte de vários grupos e contatos da rede vão aparecendo.

Até aqui, tudo parece com aquelas correntes "passe para 10 amigos e melhore sua vida sentimental". Até pode ser, mas o negócio vai mais adiante.

Quanto vale o show?

Ao fazer parte desse "Clube do Bolinha" digital, o internauta tem a prerrogativa de avaliar as pessoas. E o inverso também vale. Ao afirmar (e assinalar) que você toparia sair com determinada pessoa, ela não saberá disso. A não ser que ela sinta a mesma vontade que você. Bingo. Mais uma utilidade do Orkut: correio elegante.

Como tudo o que é novidade se espalha rápido, o "webclube" logo se transformou em mania. Calcula-se que, hoje, quase a metade dos cadastros no site seja de brasileiros (o Orkut é americano). Ponto positivo, sobretudo para quem não manja muito de inglês.

Orkut mexendo com a consciência

Lendo uma das milhares de coisas que saíram sobre o Orkut na imprensa brasileira, o que me chamou mais a atenção foi a entrevista de um psicólogo, ensinando como o internauta deve se comportar ao levar um fora no tal joguinho de dar notas e fazer comentários pessoais. Reação, coragem e bola para frente são exemplos dos conselhos psíquicos para o cidadão carente se recompor de uma má avaliação. Isso mostra até que ponto as pessoas se comprometem sentimentalmente com determinadas situações. Um tema velho, pois salas de bate-papo e sites específicos sobre encontros amorosos também já foram alvos dos profissionais da psicologia.

Perdidos e achados

Quem pensa que as utilidades são nulas nessa grande agência de encontros, saiba que tem coisas interessantes à disposição de todos. Pode-se criar um grupo de discussão (comunidades) sobre um determinado assunto, inclusive relacionado a ofertas de empregos (olha os anúncios a caminho). Ou simplesmente saber por onde anda aquela pessoa que você conheceu no verão de 1982 e que nunca mais viu.

A exemplo dos sites comerciais, que cobram (ou não) por acessos e enchem sua caixa postal com SPAMs, o Orkut também tem seu viés comercial, pois estimula o internauta a ficar mais tempo conectado à rede. Ganham os provedores, lucram os hospedeiros de "sites".

Na onda do Orkut

Aproveitando a sensação do Orkut, resolvi criar um "fotoblog". A princípio, pensei que ninguém fosse ver. Enganei-me. Depois de quinze dias em atividade, a página recebeu pouco mais de 800 visitas. Parece pouco, mas não é, pois se trata de um "site" quase restrito à minha lista de contato do e-mail (umas 20 pessoas). Está certo que toda a manhã esses amigos recebem uma mensagem minha convidando-os a visitarem a minha página, diariamente atualizada.

O legal disso tudo é que as velhas fotografias de adolescência ganham contornos atuais, pois muitas das pessoas que faziam parte da cena à época, ou já se casaram ou mesmo sumiram do mapa. Mas estão ali, registradas e fotografadas, à disposição de quem quiser ver. Muito melhor, portanto, do que encher a parede com buracos e fazer um mural no quarto.

 

Curtinha

QUANTO?

Três bilhões de músicas e cinco milhões de vídeos e filmes são baixados todos os dias pela Internet. Muito, né? Assunto para as próximas semanas...

 

SITE DO MÊS

serginhoqr.fotoblog.uol.com.br

Já que falei do meu "fotoblog", vou fazer mais um pouco de propaganda. Tem foto da família, dos amigos, ex-namoradas e pessoas que já passaram pela minha vida e com as quais perdi contato. Quem sabe eu as ache no Orkut?

Mensagem para O JORNAL

Volta à 1.ª página