O que é mais nocivo?

Dep. Alberto Fraga

Ninguém, em sã consciência, pode dizer que é contra o desarmamento. Eu, que sou coronel da Polícia Militar e dediquei 25 anos da minha vida defendendo a sociedade, jamais posso fazer essa afirmação. Sou favorável a ele, mas que se inicie pelos bandidos e depois chegue ao cidadão de bem, que se depara diariamente com o perigo.
Acabamos de saber que a deputada Juíza Denise Frossard teve seu carro roubado. A violência está espalhada em todo o País e a criminalidade deve ser combatida com políticas sociais. Enquanto houver ausência de educação e famílias desagregadas, haverá ocorrência de crime.
Infelizmente, o Governo Federal deixa de consultar especialistas no assunto para dar ouvidos a ONGs, que recebem dinheiro de fora. E só Deus sabe qual o seu interesse em desarmar o povo brasileiro.
O desarmamento está ocorrendo, mas por causa de campanha maciça, tendenciosa e mentirosa, patrocinada pela Rede Globo de Televisão, que fez questão de transformar o presidente da Câmara dos Deputados e o ministro da Justiça em atores de telenovela. Todos os santos dias o Jornal Nacional, que criou o quadro O Dia do Presidente, leva informação mentirosa ao povo brasileiro.
Procurem analisar as armas que estão sendo devolvidas. São espingardas velhas e revólveres que não dão tiro. Orgulharam-se em anunciar que um colecionador entregou mil armas. Quando fomos verificá-las, percebemos que datavam de 1800 e não eram acionadas há muitos anos. Não são essas armas que estão matando nas ruas. As pessoas vão se deixar enganar por mais quanto tempo?
Hoje pela manhã ouvi que a ONG Viva Rio, que recebeu 1 milhão de dólares de doação do governo britânico, coincidentemente um dos maiores

exportadores de armas de fogo do mundo, tem ajudado no desarmamento e no encerramento das atividades da fábrica de armas no País. Evidentemente vamos ter de importar armas, que certamente virão da Inglaterra ou dos Estados Unidos.
Aquela Rede continua no seu papel diário de mostrar as armas que estão sendo recolhidas. O absurdo é tão grande que, no Rio de Janeiro, pessoas fizeram armas caseiras com o intuito de receber indenização. O que um pai de família desempregado não faz para obter 100 reais? E a Polícia Federal não sabe o que fazer com tanta espingarda velha, porque o cidadão de bem não vai deixar de proteger sua propriedade e entregar para o Governo sua arma, adquirida por 2 mil reais, em troca de 100 reais.
Ora, a hipocrisia no Brasil está institucionalizada. Basta ver a opinião do povo. Mas não por intermédio de pesquisa como aquela feita pelo IBOPE, em que perguntaram a uma senhora o que ela achava do concreto armado e ela respondeu que o Governo tinha de tomar providências para desarmar o concreto. Foi em pesquisas como essa que a Globo se baseou para desarmar o cidadão brasileiro.
Povo desarmado é povo desamparado. Os bandidos vão agradecer pelos cidadãos desarmados, não tenho dúvida disso. E o Governo participa dessa campanha tendenciosa feita pela Globo, que quer deixar o cidadão à mercê do bandido, que não participa da campanha do desarmamento e jamais vai entregar sua arma.
O que é mais nocivo para a sociedade: uma arma de fogo bem guardada dentro de casa, com o interesse apenas de proteger aquela propriedade, ou as cenas de traição, de homicídio, exibidas nos horários nobres pela TV? Com a palavra a Rede Globo de Televisão.

ALBERTO FRAGA é deputado federal pelo PTB-DF.

ensagem para O JORNAL

Volta à 1.ª página