matraca2.gif (20686 bytes) A MATRACA
Assis Corrêa Neto

DEMOCRÁCIA IMPERIAL ESTÁ NOS ESTERTORES

Durou pouco. Democracia imperial, implantada pelo PT, não resistiu. Começou a fazer água. Derrotada em várias importantes capitais, impedirá projeto de expansão do partido para trinta anos, como era seu desejo. PSDB sagrou-se vencedor nas capitais mais expressivas, destacando-se São Paulo e Porto Alegre, onde o PT foi senhor absoluto por dezesseis anos. Era o "jeito petista de governar".

Vitória redesenha quadro político do País com a formação de apenas duas forças, que são o PT e o PSDB. Os demais partidos serão meros coadjuvantes.

Vitória de Lula, por grande maioria de votos, indicava que o Brasil começava a mudar, com expectativa e esperança do povo numa vida melhor. Governo vem demonstrando autoritarismo que já o está prejudicando. É a centralização crescente das decisões pelo intervencionismo sufocante na economia e na iniciativa privada e pela fiscalização estreita de instituições como Judiciário, Ministério Público, imprensa e produção artística e cultural.

VIVEMOS DOIS BRASIS: NEGATIVO E POSITIVO

Goebels, o mago da comunicação do nazismo, dizia que uma mentira dita muitas vezes se transforma em verdade. É o que está ocorrendo. Vivemos dois Brasis. Um deles fora da realidade, apesar de euforicamente cantado em prosa e verso pelos magos de cartola no Planalto Só eles acreditam. A perda do poder aquisitivo de quem trabalha bate recorde, o desemprego continua à mostra e o povo comendo menos. Falácias marqueteiras mostrando um Brasil que não é real. Mais de uma centena de peças oratórias negando um País impregnado pelas desigualdades sociais, fome e miséria. Governo continua onde sempre esteve. Todos nós esperando pelo tão propalado e cansativo crescimento econômico que ainda não saiu do papel.

ESTRELA DO PT MUDA DE COR: VERMELHO PARA AMARELO

Estrela vermelha, símbolo maior do PT, incrustada inclusive em próprio pertencente ao povo – os jardins do Palácio da Alvorada – está mudando de cor. Chegou ao amarelo. Vermelho dá azar. É o que pensava o candidato do partido, que viu seu nome despencar nas pesquisas de intenção de voto em Curitiba. Foi derrotado mesmo com a mudança de cor da estrela.

COMENDO A COMIDA DO POBRE

Quando o Banco Mundial revelou que, nos empréstimos concedidos ao Brasil, mais de 5% se destinavam ao pagamento de propinas para todos escalões da República, provocou uma grita geral. Paladinos da moralidade e dos bons costumes se puseram em campo... para dizer que a corrupção neste governo não existe mais! Engana que eu gosto. Propinoduto está incrustado em todas as transações envolvendo o poder público. Já ficou tedioso e cansativo afirmar que corrupção continua comendo a solta. Diariamente veículos de comunicação dão conta de uma nova maracutáia.

O programa Fantástico, da Globo, denunciou com fartas provas que foram reiniciadas as falcatruas nos programas Fome Zero, Bolsa Família e Auxílio Escola. Comida para os pobres e outros programas desviada para aqueles que podem pagar. Levantamento realizado em cidades de Mato Grosso do Sul, Maranhão, Pernambuco e nas periferias de São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro dão conta que recebem benefícios pessoas de classe média, donas de casa própria, um ou dois automóveis e computadores, além de outros bens móveis e imóveis. Pobres mesmo continuam como verdadeiros andrajos humanos a mendigar alguns alimentos para saciar a fome.

Comentando a notícia da Globo, o sinistro e folclórico ministro do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias (que não se perca pelo nome), declara que seu ministério vai tomar providencias. É aquele mesmo personagem que defendeu em Nova York, quando da reunião da ONU, a tese de que ‘fraude, corrupção e violência fazem parte da condição humana." Falou e disse. Vamos tirar o sofá da sala.

P.S. – Este comentário estava redigido quando chegou a fantástica e inusitada notícia de que Lula instalou, no Palácio do Planalto, o Conselho de Transparência Pública e Combate à Corrupção. Bandeira de seu governo que não está dando certo. Demorou 17 meses. Reconhecimento tácito de que a maracutáia corre à solta. ONU revela que 5% do PIB brasileiro, equivalente a 25 bilhões de dólares todos os anos, escorrem pelo ralo da corrupção. Tranca em porta arrombada...

ADVOCACIA ESTÁ-SE EXTINGÜINDO

Advogado no Brasil é uma raça em extinção. É o que se deduz de trabalho da OAB de São Paulo sobre resultados do "exame de ordem", requisito obrigatório para que o recém-formado possa exercer a profissão.

Vinte por cento, dos quase setenta mil candidatos que se apresentaram ao exame da OAB paulista levaram pau. Apenas quatro cursos aprovaram mais de 50%.

Isso vem demonstrar a baixa qualidade do ensino de direito no País, onde mais de meio milhão de 

estudantes tenta um lugar ao sol. Mau ensino que se reflete nos concursos públicos para Polícia, Ministério Público, Judiciário no nível federal, onde o índice de aprovação é dos mais baixos.

Enquanto isso, Ministério da Educação continua licenciando a mancheias cursos de direito de fundo de quintal e finais de semana. Licenciadas mais de duas centenas de escolas de duvidosa reputação. Com reprovação na faixa de 20% ao ano, na OAB, advogado parece espécie em extinção. Estamos prestes a nos tornar novamente País dos bacharéis e profissionais de "porta de xadrez".

NACIONALISMO DE "ARAQUE" VOLTANDO

Estava demorando. Onda nacionalista voltou à ordem do dia. Alguns empresários brasileiros, conhecidos por sua incompetência em competir, já colocaram as manguinhas de fora. Apavorados com o modelo chinês de investimentos no Brasil, que poderá significar a desnacionalização de empresas brasileiras. Estão renascendo aquelas velhas e cansativas teses baseadas no empoeirado argumento de que estatais estrangeiras subsidiadas pelo governo têm mais poder de competição e podem "desnacionalizar" empresas brasileiras. A velha tese da esquerdinha festiva, incrustada no Itamaraty e outros meandros do governo, dificultando a atração de investimentos externos.

Estamos com uma infraestrutura sucatada à espera da boa vontade dos alienígenas, que ainda não se sentem seguros em investir no Brasil. Faltam regras claras.

Não resta dúvidas de que podemos chegar à recuperação econômica. Falta, porém, resolver problemas estruturais que nos fazem um país instável, em desequilíbrio com relação ao interesse de investidores e o grau de confiança na continuidade de nosso crescimento.

Nosso preconceito ideológico está nos afastando do ranking dos países mais competitivos. Caímos para o 57.º lugar. Batemos um novo recorde: estamos atrás de Botsuana e Namíbia. Solidariedade brasileira aos nossos irmãos africanos.

CHEGOU O VÔO DA GALINHA

Durou muito pouco. Veio antes do esperado. Economia brasileira já dava os primeiros sinais de recuperação, mas estagnou. Banco Central, contra todas as expectativas e gerando muitos protestos, aumentou a taxa de juros em ½ ponto percentual. Taxa Selic pulou de 16,25% para 16,75% ao ano. Água fria na fervura. Empresários dos mais diferentes setores industriais, que já faziam planos para ampliar a produção, deram marcha a ré. Direcionamento dos investimentos do setor produtivo passou para o financeiro, com queda na renda e emprego. Juros altos, maiores do mundo, vão deteriorar as perspectivas do crescimento econômico. Vice-presidente do Banco Mundial diz que, para o Brasil voltar a crescer, a taxa se juros precisa baixar. Tá na cara. Galinha alçou vôo antes do desenvolvimento sustentado.

OAB QUER CONTROLE DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

Parece piada de mau gosto. Não é. Contrariando suas tradições passadas na luta contra o arbítrio e pela defesa intransigente de todas as liberdades, a OAB claudicou. Aliou-se ao obscurantismo e à prepotência dos poderosos de plantão.

Numa posição imoral e inusitada, seu Conselho, constituído por intocáveis macróbios, decidiu aprovar projeto que tramita no Congresso para criar o Conselho Nacional de Jornalismo, instrumento do PT para influenciar a linha editorial dos meios de comunicação, além da política de recursos humanos das empresas.

Um conselho nacional de jornalistas só interessa à Federação Nacional de Jornalistas, órgão sem nenhuma representatividade, dominado por assessores de imprensa lotados em cargos de confiança nos diferentes escalões da administração federal, quase todos pelo PT. Esperam essa boquinha rica, mais uma criação do PT para nomear uma diretoria divorciada dos verdadeiros profissionais de imprensa.

Vinte, dos vinte e dois Conselheiros da OAB, traíram a categoria constituída por mais de meio milhão de advogados ao esquecer suas tradições. Minoria escolhida por conchavos para apoiar um governo que pretende policiar as atividades jornalísticas, a cultura e a arte.

Esses advogados travestidos de conselheiros esquecem o que a advocacia já fez pela democracia brasileira desde o seu Descobrimento: Brasil do Império, Brasil parlamentar, Brasil republicano, Brasil dos ciclos de democratização. Foram os jurisconsultos e advogados que criaram a base legal, por meio dos estatutos, das Constituições e dos arsenais normativos que garantiram e garantem ao País sair do estado de barbárie para o palco das nações civilizadas. Não podemos olvidar os ensinamentos do inesquecível e festejado ministro Evandro Lins e Silva, de que a vocação institucional da OAB sempre foi a defesa do povo, das liberdades, da democracia.

Aqueles 20 conselheiros da OAB não são dignos de representar os operadores do direito. Nós, advogados independentes e democratas, não podemos convalidar tamanha patifaria. Vamos fazer uma cruzada, pedir a realização de uma assembléia para mostrar que são indignos de nos representar. Queremos a OAB de volta à sua tradição na defesa de todas as liberdades.

(Assis Corrêa Neto é jornalista e escritor - assiscorreaneto@uol.com.br )

E-mail para O JORNAL

Volta à 1.ª página